Home » Arquivos da Categoria "Distúrbio de Comportamento"

programação cursos on line setembro e outubro

setembro

dia 04 e 06 de setembro de 19 as 21 hs
Curso Uso dos Florais na Fibromialgia abordando o Sistema Floral S.Germain via skype

Para a participação deverá ser efetuado o pagto através de depósito bancário e adicionar o skype da professora: rosangelaflorais

valor R$ 500,00 desconto de 10% para quem fizer mais de um curso com a professora em set e out

===============================
dia 12 e 14 e setembro a partir das 19 hs
Chacras de humanos e animais as essências florais para equilíbrio.
Anamnese como fazer?
valor R$ 450,00
CONTATO EMAIL: cursos.florais.saintgermain@gmail.com
ou rosangelaflorais@gmail.com
=====================================
Dia 15.09 a partir das 19 hs
Workshop florais de Bach e Califórnia para o feminino on line via skype
valor R$ 320,00 à vista
Para a participação deverá ser efetuado o pagto através de depósito bancário e adicionar o skype da professora: rosangelaflorais
inscrição pelo email: rosangelaflorais@gmail.com

WhatSapp (81)98843-0584

=================================
dia 20 e 22 de setembro
Curso Sistema Floral de Bach on line
Para a participação deverá ser efetuado o pagto através de depósito bancário e adicionar o skype da professora: rosangelaflorais
inscrição pelo email: rosangelaflorais@gmail.com
WhatSapp (81)98843-05
valor R$ 420,00

==================================================
outubro
dias 03 e 04 de outubro partir das 19 hs
Os Florais na Demência de Alzheimer.
A doença, suas fases, os distúrbios de comportamento em que florais podem ajudar. O cuidador e suas questões emocionais. A memoria.
Prof Rosangela Vecchi Bittar informações rosangelaflorais@gmail.com whatsapp (81)98843-0584 data do curso dias 03 e 04 de outubro de 19 às 21:15 hs via skype .Para a participação deverá ser efetuado o pagto através de depósito bancário e adicionar o skype da professora: rosangelaflorais
valor R$ 450,00

Continue lendo este post

O Bullying e as Essências Florais


por Rosangela Vecchi Bittar
Especialsita em Terapia Floral pela UFPE

O BULLYING E AS ESSÊNCIAS FLORAIS

O bullying é um termo ainda pouco conhecido do grande público. De origem inglesa e sem tradução ainda no Brasil, é utilizado para qualificar comportamentos agressivos no âmbito escolar, praticados tanto por meninos quanto por meninas. Os atos de violência (física ou não) ocorrem de forma intencional e repetitiva contra um ou mais alunos que se encontram impossibilitados de fazer frente às agressões sofridas. Tais comportamentos não apresentam motivações específicas ou justificáveis. Em última instância, significa dizer que, de forma “natural”, os mais fortes utilizam os mais frágeis como meros objetos de diversão, prazer e poder, com o intuito de maltratar, intimidar, humilhar e amedrontar suas vítimas. As vítimas de bullying se tornam reféns do jogo do poder instituído pelos agressores. Raramente elas pedem ajuda às autoridades escolares ou aos pais. Agem assim, domi¬nadas pela falsa crença de que essa postura é capaz de evitar possíveis retaliações dos agressores e por acreditarem que, ao sofrerem sozinhos e calados, pouparão seus pais da decepção de ter um filho frágil, covarde e não popular na escola.

As formas de bullying são:
• Verbal (insultar, ofender, falar mal, colocar apelidos pejorativos, “zoar”)
• Física e material (bater, empurrar, beliscar, roubar, furtar ou destruir pertences da vítima)
• Psicológica e moral (humilhar, excluir, discriminar, chantagear, intimidar, difamar)
• Sexual (abusar, violentar, assediar, insinuar)
• Virtual ou Ciberbullying (bullying realizado por meio de ferramentas tecnológicas: celulares, filmadoras, internet etc.)

Estudos revelam um pequeno predomínio dos meninos sobre as meninas. No entanto, por serem mais agressivos e utilizarem a força física, as atitudes dos meninos são mais visíveis. Já as meninas costumam praticar bullying mais na base de intrigas, fofocas e isolamento das colegas. Podem, com isso, passar despercebidas, tanto na escola quanto no ambiente doméstico.

Ultimamente tem sido um assunto bastante vinculado na mídia embora seja um assunto que venha ocorrendo há décadas nas relações sociais, familiares. Este tipo de assédio acarreta conseqüências graves no aspecto mental e emocional daqueles indivíduos que repercute em ações muitas vezes extremadas e em auto-agressão.

A Raiva, a revolta interiorizada pode acarretar acontecimentos dramáticos para a sociedade e para o indivíduo. As consequências são as mais variadas possíveis e dependem muito de cada indivíduo, da sua estrutura, de vivências, de predisposição genética, da forma e da intensidade das agressões.

No entanto, todas as vítimas, sem exceção, sofrem com os ataques de bullying (em maior ou menor proporção). Muitas levarão marcas profundas provenientes das agressões para a vida adulta, e necessitarão de apoio psiquiátrico e/ou psicológico comcerteza de tratamento complemetar usando a Terapia Floral para a superação do problema.

Os problemas mais comuns são: desinteresse pela escola; problemas psicossomáticos; problemas comportamentais e psíquicos como transtorno do pânico, depressão, anorexia e bulimia, fobia escolar, fobia social, ansiedade generalizada, entre outros. O bullying também pode agravar problemas preexistentes, devido ao tempo prolongado de estresse a que a vítima é submetida.

Em casos mais graves, podem-se observar quadros de esquizofrenia, homicídio e suicídio como vimo no ano passado em uma Escola do Rio de Janeiro.

A identificação precoce do bullying pelos responsáveis (pais e professores) é de suma importância. As crianças normalmente não relatam o sofrimento vivenciado na escola, por medo de represálias e por vergonha. A observação dos pais sobre o comportamento dos filhos é fundamental, bem como o diálogo franco entre eles. Os pais não devem hesitar em buscar ajuda de profissionais da área de saúde mental, para que seus filhos possam superar traumas e transtornos psíquicos. Outro aspecto de valor inestimável é a percepção do talento inato desses jovens. Os adultos devem sempre estimulá-los e procurar métodos eficazes para que essas habilidades possam resgatar sua autoestima, bem como construir sua identidade social na forma de uma cidadania plena.

Os problemas apresentados pelas vítimas do bullyng podem ser tratados de forma complementar através das essências florais que é uma prática integrativa não medicamentosa, natural, que trata aspectos apresentados em decorrência da agressão sofrida: como vergonha, resgate da auto-estima, trata o stress, decontrole emocional, depressão, raiva, revolta, subserviência, o pânico, o trauma e abuso vivenciado, dando a vítima oportunidade de superar o quadro emocional e mental
gerado pelo conflito interior introjetado após vivenciar situação de abuso, assédio, humilhação, intimidação que sofre o agredido.

A pessoa precisa de suporte, apoio para que possa esvasiar a angústia, tristeza, revolta sofrida pelo bullyng.Caso ocntrário teremos adultos com graves problemas emocionais e somatizações no corpo certamente o impedirão de se realizar plenamente na vida. Que pode ser um lupus, um problema de pele como urticária, psoriase, obesidade, e muito mais.

COMO PERCEBER QUANDO UMA CRIANÇA OU ADOLESCENTE ESTÁ SOFRENDO BULLYING? QUAL O COMPORTAMENTO TÍPICO DESSES JOVENS?
As informações sobre o comportamento das vítimas devem incluir os diversos ambientes que elas frequentam. Nos casos de bullying é fundamental que os pais e os profissionais da escola atentem especialmente para os seguintes sinais:

Na Escola:
No recreio encontram-se isoladas do grupo, ou perto de alguns adultos que possam protegê-las; na sala de aula apresentam postura retraída, faltas frequentes às aulas, mos¬tram-se comumente tristes, deprimidas ou aflitas; nos jogos ou atividades em grupo sempre são as últimas a serem escolhidas ou são excluídas; aos poucos vão se desinteressando das atividades e tarefas escolares; e em casos mais dramáticos apresentam hematomas, arranhões, cortes, roupas danificadas ou rasgadas.

Em Casa:
Frequentemente se queixam de dores de cabeça, enjoo, dor de estômago, tonturas, vômi¬tos, perda de apetite, insônia. Todos esses sintomas tendem a ser mais intensos no período que antecede o horário de as vítimas entrarem na escola. Mudanças frequentes e intensas de estado de humor, com explosões repentinas de irritação ou raiva. Geralmente elas não têm amigos ou, quando têm são bem poucos; existe uma escassez de telefonemas, e-mails, torpedos, convites para festas, passeios ou viagens com o grupo escolar. Passam a gastar mais dinheiro do que o habitual na cantina ou com a compra de objetos diversos com o intuito de presentear os outros. Apresentam diversas desculpas (inclusive doenças físicas) para faltar às aulas.

O CONTRÁRIO? O QUE SE PODE NOTAR NO COMPORTAMENTO DE UM PRATICANTE DE BULLYING?

Na escola os bullies (agressores) fazem brincadeiras de mau gosto, gozações, colocam apelidos pejorativos, difamam, ameaçam, constrangem e menosprezam alguns alunos. Fur¬tam ou roubam dinheiro, lanches e pertences de outros estudantes. Costumam ser popula¬res na escola e estão sempre enturmados. Divertem-se à custa do sofrimento alheio.

No ambiente doméstico, mantêm atitudes desafiadoras e agressivas em relação aos fami¬liares. São arrogantes no agir,no falar e no vestir, demonstrando superioridade. Manipulam pessoas para se safar das confusões em que se envolveram. Costumam voltar da escola com objetos ou dinheiro que não possuíam. Muitos agressores mentem, de forma convin¬cente, e negam as reclamações da escola, dos irmãos ou dos empregados domésticos.

O FENÔMENO BULLYING COMEÇA EM CASA?
Muitas vezes o fenômeno começa em casa. Entretanto, para que os filhos possam ser mais empáticos e possam agir com respeito ao próximo, é necessário primeiro a revisão do que ocorre dentro de casa. Os pais, muitas vezes, não questionam suas próprias condutas e valores, eximindo-se da responsabilidade de educadores. O ensinamento de ética, solidariedade e altruísmo inicia ainda no berço e se estende para o âmbito escolar, onde as crianças e adolescentes passarão grande parte do seu tempo.

Baseado na CARTILHA DO Conselho Nacional de Justiça
livro “BULLYING: Mentes Perigosas nas Escolas” de Ana Beatriz Barbosa Silva

Continue lendo este post

A Terapia com Essências Florais no contexto da Demência de Alzheimer


Por Rosangela Vecchi Bittar
Especialista em Terapia Floral pela UFPE e coordenadora de Práticas Complementares e Integrativas a Saúde da ABRAz PE.

A Terapia Floral (TF) é uma prática complementar a saúde recomendada pela Associação Brasileira de Alzheimer tanto para a pessoa com este tipo de demência bem como para o uso dos familiares e cuidadores. É uma prática complementar recomendada pela Organização Mundial da Saúde e adotada por vários estados e municípios brasileiros conforme o postulado pelo Ministério da Saúde na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS Portaria 971 de 03/05/2006 tal prática tem ênfase na escuta na escuta acolhedora, no desenvolvimento do vínculo terapêutico e na integração do ser humano com o meio ambiente e a sociedade dentro do paradigma da integralidade do ser contemplando suas várias instancias: física, mental, emocional e espiritual objetivando a qualidade de vida e humanização da saúde. A terapia floral é um instrumento terapêutico não medicamentoso que se utiliza de remédios elaborados a base de flores silvestres é natural, sem contra-indicação, sem uso de agentes químicos podendo ser usado com segurança do bebe ao idoso. Trata principalmente os desequilíbrios emocionais e mentais que provocam sofrimento na alma e corpo do homem. Podemos usá-la em diversas circunstancias: para desenvolvimento pessoal, preventivamente, nas doenças crônicas, doenças somáticas, eventos traumáticos, sobrecarga e desequilíbrios emocionais, depressão, o stress, a síndrome de pânico etc.

Esta terapia (A Terapia Floral) foi criada na Inglaterra pelo médico Dr.Edward Bach especialista em saúde pública, bacteriologista, patologista nos idos de 1930, segundo ele, os conflitos interiores provocam processos de adoecimento e devemos buscar a causa do sofrimento para promover a cura real. O tratamento é feito através de prescrição após anamnese cuidadosa em consultório que resulta em prescrição de fórmula com solução oral apresentada em vidro de 30 ml âmbar com conta-gotas manipulada em farmácias de manipulação em todo Brasil.

A doença ou demência de Alzheimer como sabemos é gradativa, incurável de longa duração, que traz aos envolvidos grande angústia e dor emocional. Para as pessoas com Alzheimer a Terapia Floral complementa o tratamento alopático tratando a depressão, traumas, que geralmente acompanha tais pacientes, os distúrbios de comportamento como desconfiança, agressividade, perambulação e agitação. Atua dissolvendo os padrões disfuncionais que provocam conflitos entre os familiares pela sobrecarga que a própria doença impõe. No processo de desenvolvimento da doença o cuidador passa por grande estresse emocional, depressão, sendo afligido por todo tipo de emoções que o desequilibram que podem ir da raiva, tristeza, desespero, culpa, ressentimento, impaciência, angústia, ansiedade, perda de individualidade, medo, cansaço físico e mental. Os conflitos, a avalanche de problemas e emoções desencadeadas causam sofrimento, desgaste das energias e conseqüentemente afetam a homeostase assim baixando a imunidade da pessoa podendo vir a desenvolver doenças somáticas a nível físico.

Os Florais atuam nos processos dissolvendo os padrões negativos que trazemos dentro de nós por crenças aprendidas ou absorvidas, devido a situações desgastantes do ambiente social, estilo de vida, hábitos mentais, emoções negativas, atitudes e comportamentos que nos refreiam e limitam e provocam sofrimento no aspecto emocional, social e comportamental.

A utilização da Terapia com Essências Florais, visa dar qualidade de vida a pessoa com DA e objetiva no que concerne ao núcleo familiar, facilitar a convivência e aceitação da doença, na perspectiva de minimizar a sobrecarga emocional do cuidador, gerando benefício ao próprio paciente.

O tratamento é realizado por um profissional qualificado de nível superior que tenha Especialização em Terapia Floral na Universidade Federal de Pernambuco, na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, na FACIS em S. Paulo, ou extensão para pessoas do nível médio como na USP ligado ao Depto. de Enfermagem e algumas formações vinculadas a Associações de classe como ocorre em Campo Grande no Mato Grosso do Sul ASTERFLOR, no Estado do Rio de Janeiro a RIOFLOR, em Minas Gerais a Associação Mineira de Terapeutas Florais, no Rio Grande do Sul a ARTFLOR Associação Riograndense de Terapeutas Florais etc. ou cursos idôneos a nível de especialização, extensão e formação de terapeutas florais para pessoas que queiram ingressar na carreira com no mínimo uma carga horária de 100 hs, incluindo estágio supervisionado para acompanhamento de casos.

No entanto, o terapeuta para tratar uma pessoa com Alzheimer precisa estar familiarizado com tais pacientes, precisar conhecer este universo para tanto, estou produzindo livro contendo informações para tal que deverá ser lançado em novembro próximo destinado a terapeutas, familiares, cuidadores em geral contemplando o Cuidar e o Auto-cuidado com o título: Os Benefícios das Essências Florais e Bach no Alzheimer pela Editora Laços de S.Paulo.

Continue lendo este post

A TERAPIA FLORAL (TF) NO TRATAMENTO AOS DISTÚRBIOS DE COMPORTAMENTO NA PESSOA COM DOENÇA DE ALZHEIMER (DA).


Trabalho Apresentado em versão poster no VII Congresso Brasileiro de Alzheimer
ABRAz Belém.

A TERAPIA FLORAL (TF) NO TRATAMENTO AOS DISTÚRBIOS DE COMPORTAMENTO NA PESSOA COM DOENÇA DE ALZHEIMER (DA).

AUTORA: BITTAR, V. ROSANGELA

PALAVRAS CHAVE: Terapia Floral, Distúrbios de comportamento, Pessoa com Alzheimer.

INTRODUÇÃO: A Terapia Floral (TF) tem o aval da Organização Mundial de Saúde – OMS que a reconheceu em 1976, como terapia complementar. No Brasil, em 03/05/2006 foi aprovada a Portaria 971 aprova a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS, a qual recomenda a adoção e implementação dela nos estados e Municípios conforme recomenda a Organização Mundial de Saúde – OMS como forma de estimular mecanismos naturais de prevenção de agravo e recuperação da saúde por meio de tecnologias eficazes e seguras, com ênfase na escuta acolhedora, no desenvolvimento do vínculo terapêutico e na integração do ser humano com o meio ambiente e a sociedade. Assim a Terapia com Essências Florais se enquadra pela sua forma de atuação, através da escuta acolhedora. Principal objetivo com o uso da TF é a qualidade de vida e humanização da saúde. É uma prática não medicamentosa e complementar a saúde que trata os estados mental, emocional, espiritual trazendo reflexo no físico e comportamento do indivíduo.

OBJETIVO: Avaliação sobre uso da Terapia das Essências Florais no tratamento dos distúrbios
de comportamento: agressividade e perambulação a pessoa com Alzheimer.

METODOLOGIA: Acompanhamento sistematizado em grupo consultório a cuidadores e a
pessoa com Alzheimer através do uso as essências florais.

DISCUSSÃO:
O paciente com Alzheimer apresenta alternância de humor e comportamento podendo ir de um estado calmo a depressivo a agressivo. A personalidade de pessoas com Alzheimer pode mudar drasticamente como reflexo ao desconforto e dor. Tornando-se confusos, desconfiados, agitados. Apresentam com sintoma a perambulação onde a pessoa caminha por longos períodos continuamente, talvez tentando desempenhar alguma atividade anteriormente desenvolvida ou procurando “sua casa”. O que as essências florais podem fazer? Como prática não medicamentosa não atrapalha a medicação convencional, a essência floral Star Of Bethlehem atua concedendo tranqüilidade interior, dando conforto, atuando sobre os traumas passados que geralmente desencadeiam o DA; Holly que atua nos estado de raiva, agressividade, ciúme promove o apaziguamento, perdão; Impatiens atua na impaciência, concede tolerância, no aspecto perambulação acalma; Clematis muito importante pelo aspecto de trazer a pessoa para estar presente.

RESULTADOS: O paciente com o uso da TF fica tranqüilo, dorme mais, deixa de perambular, reequilibra-se dentro do que é possível com o DA; a agressividade fica minimizada. Passa a se comportar de forma equilibrada. O tratamento deve perdurar durante todo o processo da doença.

CONCLUSÕES: A TF através dos Florais atuam nos processos dissolve os padrões negativos que trazemos dentro de nós e que consistem de hábitos mentais, atitudes e comportamentos que nos refreiam e limitam e provocam sofrimento. Os florais podem ser adicionados aos alimentos, líquidos ou diretamente na boca do paciente.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
BITTAR, V. Rosangela, Pesquisa sobre a Atuação da Terapia Floral no Alívio da Sobrecarga Emocional do Cuidador da Pessoa com a Doença de Alzheimer, Abraz, Olinda, 2008.

BITTAR, V. Rosangela, Os Benefíios das Essências Florais de Bach no Alzheimer, Editora Laços, S.Paulo, 2011. Lançamento breve.

Continue lendo este post